sexta-feira, 23 de novembro de 2007

Deco Drive

Queridos leitores e amigos, desculpe a falta de tempo nas ultimas semanas. Logo voltaremos as nossas viagens. Enquanto isso, aproveito para compartilhar uma breve participação que fiz em um programa de tv de Miami - http://www.decodrive.com/. Eu adoro essas pulseiras.


video


Ate muito breve com mil novidades de viagens,

Cris

domingo, 7 de outubro de 2007

NOLI


Há dois anos, estávamos indo de carro de Florença para St. Tropez e procurávamos um lugar para almoçar para dar uma quebrada na viagem. (Por sinal, um dica extremamente importante. Como o slogan do American Express, “Don’t leave home without it”, quando viajar de carro na Europa, não saia sem o Guia Michelin.)

Bom, nessa viagem aprendemos na marra que os restaurantes tradicionais Europeus (com a exceção de St. Tropez, onde normalmente almoçamos as 4 da tarde) fecham por volta de 2-2:30, hora que começamos a procurar algum lugar gostoso para parar. Depois de varias tentativas frustradas conseguimos encontrar um restaurante que estava aberto e quando ligamos disse que esperaria por nós. Nunca vimos nada parecido.



A cidade em si é a coisa mais charmosa do mundo. Chama-se Noli e fica na costa do mediterrâneo, quase na fronteira com a Franca, na Ligúria, região da Itália famosa pelo molho de pesto. O restaurante, que também é hotel (tem 11 quartos), chama Residenza Palazzo Vescovile. Imagine que antigamente era um palácio dos bispos da cidade. O lugar é lindo. A cidade está a beira do mar. Você estaciona embaixo e pega um elevador panorâmico que sobe 35 metros para o restaurante. A vista é deslumbrante!

O dono, super simpático, estava esperando por nós na saída do elevador, e como todo bom Italiano, muito orgulhoso do seu restaurante, não nos deixou ver o menu. Escolheu ele mesmo o vinho e degustamos um almoço inesquecível onde em cada prato vinha uma surpresa mais deliciosa ainda!


Provamos duas massas deliciosas, uma ao pesto e outra com frutos do mar. A entrada com camarão e frutos do mar também é divina.



Foi uma experiência inesquecível.

www.vescovado.net tel;/fax: 39 019 74 99 059

Molho Pesto

50g Pignoli
100g Manjericão
Sal e pimenta a gosto
4 colheres de sopa de parmesão ralado (de boa qualidade)
4 dentes de alho picados
200 ml de Azeite de Oliva de boa qualidade

Misturar todos ingredientes no processador menos o azeite. Adicionar o azeite com o processador ligado.

*Dica: Quando cozinhar a pasta guardar 1/3 de xícara da água onde cozinhou para dissolver com o pesto antes de mistura-lo a pasta.

Bom apetite!

domingo, 23 de setembro de 2007

La Mère Germaine


Este é um lugar muito especial que conhecemos há 20 anos com queridos amigos Xinha e Carlo Gancia, que na época moravam em Mônaco. O restaurante é um ícone da região. Abriu em 1938. Isso que me fascina na Europa. Existe um passado muito sólido, o que as vezes sinto falta nos Estados Unidos! Quem me conhece sabe que não sou nada tradicional, mas confesso que gosto muito da qualidade que vem com a tradição. Bom, deixando a filosofia de lado, o La Mère Germaine hoje é administrado pela terceira geração da família e continua simplesmente o máximo! Fica em Villefranche-sur-mer, uma das muitas mini-cidades super charmosas da Cote D’Azur, entre Mônaco e Nice. A vista do restaurante é linda, como é de se esperar de um estabelecimento ao redor de barquinhos de pescadores à beira de um porto, por sinal fundado há mais de 700 anos. Não preciso dizer que frutos do mar é a especialidade da cozinha. Eu quase sempre acabo pedindo o Bouillabaisse, um prato de peixes, típico da região. Os peixes frescos e o camarão com curry também são divinos. De sobremesa, eu adoro os sorvetes!

George Harisson, Zsa Zsa Garbor, Elizabeth Taylor, Liza Minelli estão entre os freqüentadores que compartilham da minha paixão pelo La Mère Germaine.

Restaurant La Mère Germaine – Quai Coubert tel: 33 0 4 93 01 7139
www.meregermaine.com

segunda-feira, 3 de setembro de 2007

Miami Spice


Miami pode não ter estações definidas como Nova York, mas toda estação aqui é cheia de novidades.

Durante Agosto e Setembro cerca de 85 dos melhores restaurantes de Miami oferecem um menu fixo com entrada, prato principal e sobremesa por US$22 no almoço e US$35 no jantar. O valor total equivale ao preço de um prato muitas vezes no cardápio normal desses restaurantes. O incentivo a gastronomia chama-se “Miami Spice!” É um programa muito conhecido pelos locais mas praticamente desconhecido pelos turistas que visitam Miami nesta época do ano.

É a grande chance de conhecer restaurantes quase inviáveis pela exorbitância dos preços. Entre meus favoritos que participam estão: Ago; Azul; Blue Door no Delano; o mais novo da praça, DeVito South Beach; e Evolution.

Esta semana fomos com amigos no Evolution. Estava maravilhoso! O menu do Miami Spice! consistia do seguinte:

Entrada:
Terrine de Berinjela com Queijo de Cabra (pedi esta estava ótima!)
Ou
Salada Verde com lulas grelhadas

Prato:
Escolha de peixe ou frango (ambos deliciosos!)

Sobremesa:
Misto de “berries” com sorvetes e tuille, um tipo de biscoito super fininho francês.

Na saída as mulheres ainda receberam de presente uma sacolinha com um delicioso bolo de limão para o café da manha.

Vale a pena mesmo. Agora, não se iniba na hora de pedir o menu especial do Miami Spice! (www.ilovemiamispice.com). Como regra, o garçom vai trazer à mesa o cardápio normal.

Corra que o programa acaba este mês. Bon appétit!

sábado, 25 de agosto de 2007

Goyard



Todos sabem que sou muito mais ligada em gastronomia do que compras, mas essa dica não posso deixar de dar. Meninas preparem-se pois ainda vão ouvir muito este nome! Maridos, abram as carteiras pois Goyard (www.goyard.com) não esta para brincadeira!

Alguns meses atrás, duas amigas minhas apareceram com umas bolsas diferentes. Até então, normal. A marca ainda não me chamava atenção. Na mesma época, estava em Nova York, e de novo, me deparei com outras pessoas super descoladas -- como só pode se imaginar numa feira de moda em N.Y. -- com as bolsas Goyard. Parecia um sonho, como aqueles que se repetem. Não estava acreditando. Mas ai me dei conta de que hoje em dia, essa bolsa virou sinônimo de fashion. O mais curioso é que a marca existe desde 1853 (um ano antes do nascimento da Louis Vuitton). De fato, a Goyard sempre foi e continua sendo super tradicional, mas parece que só agora foi descoberta pelos “fashionistas” e esta aparecendo cada vez mais em revistas como Harper’s, Bazaar e In Style. Celebridades como Madonna e Jéssica Simpson – e modestamente, eu -- figuram entre os novos adeptos.

As bolsas custam entre US$700 e US$5,000.00. A St. Louis Tote (o modelito da foto) é uma das mais populares (tem três tamanhos), e a Croisiére também não fica atrás. As bolsas são leves, praticas, e o charme é personaliza-las com iniciais e listras feitas especialmente para o cliente – trabalho feito somente em duas lojas do mundo, de Paris e São Francisco. Nos Estados Unidos a única loja da Goyard é em San Francisco mas as bolsas também são vendidas na Bergdorf Goodman & Barney’s em New York, e na Barney’s em Boston e de Bervely Hills.

Para personalizar as bolsas, que é justamente todo o charme da grife, a dica aqui é a seguinte: Paris demora três meses e só aceita pedidos pessoalmente. A loja de São Francisco (onde encomendei a minha) recebe pedidos por fax e leva apenas três semanas. As bolsas custam um pouco mais nos Estados Unidos, mas para o clube dos ansiosos, do qual eu pertenço, vale a pena o ágio. Acabou de chegar a minha, branca, lindíssima, e com tudo que tenho direito, das iniciais às listras personalizadérrimas.

Adorei!

sábado, 28 de julho de 2007

St. Tropez - Party Time!!

Agito é o que nao falta em St. Tropez. O difícil é ter energia para tanta festa, mas a gente faz o sacrifício!


Um dos meus restaurantes favoritos é o Villa Romana - Chemin des Conquetés (tel. - 04 94 97 15 50). A comida é sensacional. Eu gosto de reservar mesa na parte exterior do restaurante que é muito mais animada! Pede para o Mássimo, o bartender, trazer seu drink gigante especial. É caríssimo mas vale a pena se estiver em um grupo grande. A apresentação em si é um show, e ele ainda entra em cena acompanhado da musica do Star Wars!!! Depois deste drink vale tudo. Pode acreditar.


Efeitos do drink gigante


Caves du Roy é sem duvida a melhor boate do mundo na minha opinião! Sou fá numero 1 do DJ Jack-E. Nunca vi tão bom!!! Ele mistura de tudo -- de Barry White á House e Frank Sinatra! Adoro quando ele pega o microfone, “Welcome Back to St. Tropez”. Outra das minhas favoritas: “Brasil is in the House” com Gilberto Gil ou Sergio Mendes nas caixas de som! Acabei de ler em uma revista que a media de consumo de champagne na Caves é de 130 garrafas por noite, 12,000 por estação!

4 de Julho no Voile Rouge – Cada ano me impressiono mais com a criatividade do Gate. Desta vez ele transformou o Voile Rouge em um gigante avião e se fantasiou de aeromoça! Os garçons passavam a comida em bandejas, naqueles carrinhos de avião. O champagne foi servido em mini-garrafinhas individuais.. Foi muito divertido!

Nada se compara ao Voile Rouge aos sábados!

Começou a guerra

Segue a guerra
Resultados da guerra

Olha o visual da melancia!

quarta-feira, 18 de julho de 2007

Fotos de St. Tropez (Parte I)

Tanta gente me pediu que eu resolvi fazer alguns foto-blogs. De fato, St. Tropez merece. Vou iniciar essa serie com o “fotoblog gourmet”. Adoro a comida da Provence -- peixes e frutos do mar fresquissimos, legumes, frutas, muito azeite de oliva, e todas aquelas ervas que dão um aroma todo especial à culinária tão saborosa e saudável da região!

Essas fotos marcam vários momentos gastronômicos inesquecíveis nos nossos beach clubs favoritos.


Eu e JC no Palmiers


Romulo, Marcos e Marcelo -- mais um almoço maravilhoso!


Salada Caprese. Estou até sentindo o gosto daquele tomate e o perfume do manjericão!


Marcos examinando o peixe enorme que tinha acabado de chegar do Tahiti. Os meus favoritos sao “dourade” e “loup de mer”.


Tuna Tataki do Palmiers. Imperdivel!


Eu e Fernanda no Palmiers


Mais Palmiers!!


and again and again!!!!!!! Deu para perceber que eu ADORO o Palmiers?

Fique ligado que o próximo blog tem mais fotos e muita festa!

Até...

domingo, 8 de julho de 2007

Beach Clubs em St. Tropez (Parte II)

Sou encantada com os “beach clubs” em St. Tropez. Adoro todos. Mas eu sei, o tempo é curto. Prometo me conter. Aqui vão dicas só dos meus super favoritos – que você realmente não pode deixar de conhecer quando vier pra cá.

Club 55 (Tel: 04 94 55 55 55) - É sem sombra de duvida um dos mais famosos. Tudo começou em 1953 quando os pais de Patrice de Colmont, hoje dono do estabelecimento, compraram uma propriedade na praia de Pampelone para receber viajantes com um prato de comida. Imagine a responsabilidade. Os primeiros a experimentar dessa culinária maravilhosa foram príncipes da Bélgica. Colmont conta que eles comeram muito bem e lavaram os próprios pratos! Em 1955, começaram a chegar os artistas. Roger Vadim e Brigitte Bardot estavam filmando “E Deus criou a mulher” na região. Perguntaram se a mãe de Patrice poderia cozinhar durante as filmagens para toda equipe (80 pessoas). E ai, como dizem os americanos, “the rest is history”. Assim surgiu o Club 55, um dos restaurantes mais disputados da “Cote D’Azur”.


No verão, Patrice hoje acomoda de 500 à 600 pessoas por dia no restaurante. É um dos únicos aqui que não tem musica, , mas ás vezes é até bom para conversar com mais tranqüilidade! Todos os garçons se vestem de branco e a comida provençal é divina -- simples e maravilhosa! Recomendo pedir varias entradinhas para dividir. Sugiro mariscos, alcachofra, torta de cebolas e “panier de crudites”.


De prato principal, adoro os peixes fresquíssimos, os camarões, e aqui até o hambúrguer é delicioso e diferente -- à cavalo, com ovo estalado em cima. Minha sobremesa favorita é “glace vanille” (sorvete de creme) com “fraises de bois”, uns mini moranguinhos do bosque, super saborosos! Verão é justamente a estação deles. E, como se não bastasse a gastronomia, o ambiente também não deixa a desejar. Já encontramos P. Diddy, Joan Collins, Paris Hilton, Bruce Willis, e Rod Stewart.


Desculpe me prolongar no Club 55, mas realmente adoro o lugar e Patrice. Vou ser mais breve nos outros.

Voile Rouge (Tel 04 94 79 84 34) – O fundador Paul Tomaselli já faleceu, mas sua reputação é eterna graças ao filho Angel, e um brasileiro conhecido por “Gate”. Eles preservam a alma do local com uma decoração diferenciada e uma animação inigualável.


De fato, o Voile Rouge é considerado um dos “beach clubs” mais animados da praia de Pampelone. Os cenários mudam de acordo com a ocasião. São imperdíveis. Quando um príncipe Africano estava almoçando lá um dia, a decoração era toda inspirada na áfrica, inclusive o traje dos garçons. Uma viagem, literalmente! É bom também já ir entrando no clima para se molhar. Depois do almoço sempre rola guerra de champagne! Agora, prepare o bolso de euros pois não aceita cartão de credito. Só cash.


Nioulargo (Tel: 04 98 12 63 12) – Outro estilo, bem mais calmo e família. A clientela é chic e sofisticada. Tem três ambientes -- um bar no meio, um restaurante Francês, e um Thai, que é o favorito dos deslocados locais.


Só fique ligado com o horário, pois o restaurante não aceita reserva para o almoço depois das 3:30, quando já começa a produção do jantar.

Nikki Beach (Tel: 04 94 79 82 04) – Quando inaugurou, há uns cinco anos, houve muita ciumeira e polemica. Afinal, era o único lugar da região em que o dono é Americano. Mas não dá para negar. É animadíssimo, a musica é ótima, e realmente o Nikki se tornou um point para quem quer festa.

Quando voltar a Miami, prometo compartilhar umas fotinhos animadas de 4 de julho, independência dos Estados Unidos. Sempre carrego a câmera da espiã paparazzi. Brincadeirinha, mas é muito divertido. Aqui também sempre rola uma guerrinha básica de champagne e muita celebridade. Me aguardem!


Agora vou aproveitar o resto das minhas ferias. Que cidade mágica.

Ate a volta...

segunda-feira, 2 de julho de 2007

ST. TROPEZ – Capitulo II (de muitos...)



Estava em contagem regressiva para St. Tropez. O avião esta decolando. Que saudade!

Antes de partir estava sonhando quase todas as noites que já estava lá, ainda mais por que não para de chover em Miami em junho e não agüentava mais!!!!!

Para espairecer e me ajudar a curar uma gripe horrorosa que peguei, logo comecei a fazer os planos para minha próxima visita ao encanto de St. Tropez. Somos um grupo enorme, e se eu não organizasse um pouquinho iria complicar. Alguém tem que assumir a liderança nas viagens, e modéstia a parte, isso faço bem e adoro.

No dia que chegamos -- cansados -- a melhor opção era algo no estilo da Brasserie des Arts, na Place des Lices, a pracinha onde os locais ficam jogando “boule”. Que delicia. Toda estação abre algum restaurante simpático e informal. Estava esperando que na chegada descobriríamos se a Brasserie ainda existia ou se tinha novidade no pedaço. Programar tudo perde a graça da espontaneidade em uma viagem de ferias. Agora, com o movimento da temporada, para os dias seguintes, prefiro reservar tudo e depois cancelar, e não correr o risco de perder algum programa maravilhoso por falta de organização.



Não espalhem, mas realmente meu roteiro parece uma estratégia de guerra. Comecarei pelos programas diurnos. Praticamente todos os dias almocamos em algum dos “Beach Clubs” na praia de Pampelone. São estabelecimentos com servico de praia, bar e restaurante. Cada um tem sua personalidade!

Vou começar com meus favoritos, mas fique ligado que o próximo capitulo estará cheio de “beach clubs”.

Les Palmiers (04 94 798270) – é pressão media (nem tanto, nem tão pouco). O serviço e comida são ótimos e a musica nao é alta demais. Nao tem um dia especial, qualquer dia é bom! No ano passado, todas as vezes que fomos encontramos Ivana Trump com seu “Beau”.



Praticamente todos os “Beach Clubs” da região tem cabeleireiro e boutique, super conveniente para as mulheres! Logo aproveitei para marcar uma escova depois do almoço com o Claude, cabeleireiro do Palmiers (06 71 04 66 43).

Para domingo, meu programa favorito é o Tahiti (04 94 97 18 02). Normalmente tem musica ao vivo, e dá para jurar que o cantor é o Barry White! Normalmente peço o Baby Lobster, acompanhado de purê de trufas. É de comer rezando! O maitre, Jean Robert, está lá há uma vida e é um amor! Vale a pena mandar chama-lo para qualquer recomendação.

No fim do dia, nada como umas comprinhas na loja da Felicia, filha dos donos do Thaiti. Ela sempre tem umas coisas bem transadas.

Fique ligado que o próximo blog tem mais novidades. E para quem esta se preparando para o 4 de Julho – Independência americana -- este ano o Volie Rouge e Nikki Beach em St. Tropez prometem.



Até o próximo!

domingo, 10 de junho de 2007

ST. TROPEZ



O famoso Joseph, dono do L’Escale e do Grand Joseph, vai inaugurar este verão “Le Quai Joseph”. Será – sem a menor sombra de duvida -- o lugar mais concorrido da cidade. Para quem conhece, a localização é perfeita, no porto, onde ficava o La Marine. Joseph esta elaborando um “mix” de Steak House e Lounge. O DJ será o grande Wladimir, que tocava no L’Escale. E não para por ai não. No lugar do Petit Joseph abrirá a Maison du Caviar!

Pode ir arrumando as malinhas que este ano St. Tropez promete!!!!!! Se fosse uma ação de mercado, eu poderia até ser processada por informação privilegiada. Mas não resisto e tenho que compartilhar com vocês alguns “top secrets” que acabei de descobrir para o verão no paraíso de St. Tropez.



O mais novo Hotel da cidade se chama Pan Dei Palis. É um espetáculo! O soft opening foi em Novembro. Inaugura para o grande publico no verão. O Hotel fica na rue Gambetta, bem no centro, alguns passos da Place des Lices. Tem apenas 12 quartos, com decoração marroquina -- e todos os confortos modernos, como ar condicionado central, TV plasma, e DVD. A piscina é um deslumbre e o bar transadésimo, com entrada dupla, para quem esta dentro do Hotel e para quem vem da rua.



Pode apostar que quando abrir de verdade será um ponto de encontro daqueles que a gente conhece -- concorridíssimos!


O restaurante do Hotel é pequeno mas a comida é simplesmente divina! No subsolo tem uma salinha de massagem e hamman, lugares perfeitos para se refazer das noitadas intermináveis na Caves du Roy, minha boite favorita!
Pan Dei Palais – 52, rue Gambetta
Tel 04 9417 7171
Fax 04 9417 7172
www.pandei.com

Vale a pena ver de novo:

L’Escale – Fica no porto. Não é pra menos que os frutos do mar são imperdíveis. A decoração é bem charmosa, e o chão todo de areia. É caro mas vale cada centavo!
Port de Saint-Tropez
Tel 04 94 97 0063



Grand Joseph – Comida Francesa tradicional com alguns toques Asiáticos. É um lugar sempre animado e cheio de gente bonita! Tudo em St. Tropez é caro, mas aqui os preços são mais razoáveis do que o L’Escale.
1, Place de l’Hotel de Ville
Tel 04 94 97 01 66
(www.joseph-saint-tropez.com)
--
Bon appétit e fiquem ligados que os próximos capítulos terão mais novidades de St. Tropez!

terça-feira, 22 de maio de 2007

Bebel Gilberto em Miami


Quem ainda acha Miami uma cidade brega e provinciana, com certeza não visita a ilha da fantasia, ou Paraíso Tropical Americano, há muitos anos. Miami não esta mais deixando a desejar para nenhuma metrópole cultural do mundo. Prova disso é a inauguração de dois estabelecimentos na cidade no ano passado: o Carnival Center for the Performing Arts (http://www.carnivalcenter.org) -- que não fica muito atrás do Carnegie Hall ou Kennedy Center -- e o Arturo Sandoval Jazz Club (http://arturosandovaljazzclub.com) -- que não faz vergonha para nenhum freqüentador do Blue Note em Nova York ou Blues Alley em Washington.

É uma honra fazer parte integral desse crescimento cultural e musical em Miami. Por isso queria compartilhar com todos o prazer que tive de receber em casa nossa queridíssima Bebel Gilberto que se apresentou há poucos dias no Knight Concert Hall do Carnival Center para um publico diversificadíssimo de duas mil pessoas.

Confesso que quando soube que Bebel viria a Miami fazer um show cheguei a me emocionar. Nos conhecemos desde pequenas e sou sua fã numero 1. Queria muito prestigia-la, assim como esse novo centro cultural maravilhoso que estreou na cidade.

Combinamos de ir ao show com um grupo grande de vários amigos -- brasileiros, cubanos e italianos. Foi lindo! A acústica do auditório é excelente e seu novo disco “Momento” (terceiro solo da sua carreira) está simplesmente maravilhoso. Minha musica favorita foi a interpretação de “Night and Day”, de Cole Porter.

Depois do show convidamos nossos amigos e naturalmente a Bebel com toda a sua equipe para uma festa em casa. Foi muito divertido e deu para matar um pouco as saudades dessa amiga tão querida e talentosa. Agora a surpresa mesmo veio como Cinderela. Como se não bastasse a alegria de receber essa turma, um pouco depois da meia noite, chega o famoso musico cubano exilado em Miami. Arturo Sandoval em pessoa apareceu com amigos em comum para conhecer Bebel.

Parabéns Bebel Gilberto!

Foi uma noite inesquecível!

domingo, 20 de maio de 2007

Chicago



Já ouvi varias vezes muita gente chamar Chicago de “mini New York”. Até poucos dias atrás, havia visitado a cidade uma única vez, há 24 anos. Então quando o Marcos – meu marido -- me contou que daríamos um pulinho lá, fiquei muito animada para conferir. Estava curiosa para saber o que deu desse grande centro industrial norte-americano. Confesso que não me lembrava de nada. A cidade é simplesmente um luxo e de “mini” não tem nada. É um mega centro gastronômico e cultural.

Ficamos no “W” de Lake Shore. A escolha não poderia ter sido melhor. De fato, nunca me decepciono com os hotéis da rede “W” (www.whotels.com). São sempre transadíssimos e a diária não pesa no bolso.

A localização também foi ótima. Alguns quartos tem vista para o lago Michigan que é simplesmente maravilhoso! Fica poucas quadras da famosa Michigan Avenue, onde estão todas as lojas badaladas da cidade.

O hotel tem um restaurante simpático e um bar animado.

A academia também é completa, mas o spa é um show absoluto. Pertence ao famoso Bliss de Nova York (http://www.blissworld.com/). Infelizmente – ou felizmente -- não deu tempo de fazer ginástica. Preferi correr em volta do lago.



Um conhecido nosso, descoladíssimo, recomendou o restaurante Blackbird. Disse que era imperdível. E de fato é maravilhoso: pequeno, transado e com um menu espetacular e muito ousado! Os pratos são saborosos e diferentes. Comi uma salada de endives com batatas crocantes e ovo poche de entrada, e vitela com lascas de chocolate, trufas negras e alecrim como prato principal. Parece estranho mas é divino! Nunca vi nada igual. (Blackbird – 619 West Randolph – telefone: (312) 715 0708 - www.blackbirdrestaurant.com).



O Avec (http://www.avecrestaurant.com/), outro restaurante do grupo, fica ao lado do Blackbird e a decoração é sensacional. Não tivemos chance de conhecer, mas parece ser muito bom, para a ocasião certa. É um restaurante mais informal com mesa comunitária. Sugiro ir em um grupo grande e pedir vários pratos pequenos para provar de tudo.

A programação cultural também é intensa na cidade. Não deixe de visitar o Art Institute of Chicago, um museu de primeira categoria com varias exposições fixas sensacionais.



Tive a sorte de pegar uma linda sobre Vollard, que foi marchand de muitos artistas, entre eles Cezanne e Picasso. Comida de museu e avião, a gente conhece, mas por incrível que pareça, almoçamos muito bem no restaurante do Art Institute.



Vale a pena uma visita a Chicago. Voltei muito bem impressionada.

sábado, 12 de maio de 2007

Hot Tip from NY


Acabei de chegar de uma feira de bijoux em Nova York. Fico fora de combate do blog durante esses eventos, e sei que estou em falta com meus queridos leitores. Porem, temos muito a agradecer ao mundo da moda. O pessoal está sempre antenado com os lugares “in” e mais transados que abrem a cada minuto em N.Y.

A dica mais descolada da viagem foi o “230 Fifth”. Abriu no ano passado, e quase ninguém ainda conhece, a não ser os locais mesmo! Não tem nem placa na rua. Devo esse segredo de estado ao Monty, um dos vendedores do Showroom de N.Y. O lugar é um charme. Eu sei que não dá para imaginar curtir a vista de Nova York, mas sem brincadeira, o por do sol do telhado desse prédio comercial em Midtown é de outro mundo. Nós fomos fim de tarde no domingo. Pelo que apurei, quintas e sábados são os melhores dias para um “happy hour” no jardim do “230 Fifth Rooftop Garden”. Fica lotado!

Achei sensacional também a idéia da “Parka Vermelha”.

É o mesmo conceito do restaurante que providencia gravata para o homem que “esqueceu.” No terraço do “230”, você não é recebido com tapete vermelho, mas com uma capa, ou parka, para esquentar os friorentos – principalmente nativos dos trópicos, inclusive a gente que vem de Miami e morre de frio com qualquer ventinho.

Não cheguei a experimentar a comida, mas o restaurante pareceu bem simpático no andar de baixo. Varias pessoas estavam comendo no terraço “sliders”, que ultimamente virou um prato de moda. Nada mais é do que quatro “mini hambúrgueres”, mas no capricho!

Fora a vista e o charme do lugar, uma coisa que me chamou atenção foi o banheiro. Sabe como todos os lugares que estão na moda tem pouquíssimos banheiros e você fica um tempão na fila (principalmente as mulheres)? Lá não. O arquiteto bolou vários mini banheirinhos, tipo de construção mas super "designer." Achei a idéia genial!



Vale a pena conferir!

230 Fifth Ave
(212) 725-4300
Horário: 4 p.m. – 4 a.m.
www.230-fifth.com

terça-feira, 24 de abril de 2007

Bubbles.....


Apertem os cintos que o serviço TGV – trem de alta velocidade europeu – (www.raileurope.com) esta inaugurando em junho uma nova estação no coração da região de Champagne. A viagem de Gare de L’est em Paris para Bezannes vai demorar apenas 40 minutos, metade do tempo que se leva atualmente.

Fiz essa viagem diversas vezes com o Marcos, meu marido. Todos os amigos que levamos simplesmente amaram! Fomos algumas vezes de carro e chegamos a conclusão que não vale a pena. Todo mundo viaja nos fins de semana, e o transito para entrar de volta em Paris é horrível. Com isso, passamos a fazer o percurso de trem, e adoramos. É uma viagem muito agradável. Se o trem normal já era maravilhoso, imagine agora no TGV!



Aproveitando a deixa, para mim a melhor gastronomia de Reims, sem sombra de duvida, é do hotel e restaurante Les Crayeres (www.lescrayeres.com). Os preços são caros, mas os pratos valem cada centavo.

Eu gosto de pedir o menu “degustation,” que vem com uma garrafa de champagne excelente e meia de Bordeaux por casal para harmonizar o paladar. Para se ter uma idéia do requinte, na hora em que o cliente senta-se à mesa, a cozinha começa a preparar os “petit fours” que serão servidos com o café, no fim da refeição, especialmente para aquele grupo. Não me aconteceu ainda de ficar hospedada no hotel, mas uma vez fui conhecer os quartos e são maravilhosos!

A nova estação vai ficar no sul de Reims, próximo da Catedral Notre-Dame, onde 25 reis foram coroados. O tour da Catedral e do centro dessa cidade histórica é imperdível, assim como os passeios nas caves de champagne, onde é narrada toda a historia dessa bebida dos deuses, até como foi inventada pelo monge beneditino, Dom Perignon, por acidente – ou por inspiração divina -- no inicio do século 18.
As grandes casas como Mumm, Piper-Heidsieck, Taittinger, Veuve Clicquot e Moët & Chandon, entre outras centenas, fazem tours guiados às caves com direito a degustação. O melhor que já fui é o da Pommery.

É importante fazer reserva com muita antecedência tanto para o Les Crayeres quanto para o tour das caves – que, por sinal, pode ser solicitado em Francês ou Inglês.